Este é um espaço colaborativo!

Seja bem vindo!
Fale, indigne-se, deixe sua opinião, ela é muito importante!

terça-feira, 19 de julho de 2011

O lugar da educação no confronto entre colaboração e competição

Nesse texto, Brant fala sobre as diversas fronts de batalha da disputa entre a competição e a colaboração, fala também como se dá essa disputa nesse novo cenário protagonizado pela rede mundial  de computadores, onde o principal produto de comercialização(a informação), é um bem  intangível e não-rival,o que o impede de ser comercializado nos moldes conhecidos até então.Para Brant a educação tem um importante papel na reorganização dessa nova realidade, pois aqui, tanto pode ser um instrumento que propicia condições para a conquista da autonomia política, como pode ser simplesmente o aparelho ideológico do estado em que se reproduz a ideologia dominante. Neste cenário, na relação com a  educação,  as tecnologias tem  se mostrado cada vez mais distante do falso perfil de neutralidade que alguns autores erroneamente insistem em forjar-la.   Apesar de ser resultante do produto do avanço do capitalismo, isso não é determinante para que as tecnologias se tornem um fator de aprisionamento cultural. Um dos exemplos mais significativos que fundamentam tal raciocínio está na utilização dessas tecnologias através da comunidade software livre. Aqui, o uso das tecnologias terá sempre um caráter colaborativo-social e acima de tudo re-significante e estruturante. Para Brant, outro elemento importante nessa disputa é sem dúvidas, o professor, pois o papel tradicionalmente desenvolvido por esse profissional perde definitivamente seu significado social, na medida em que essa nova concepção de educação exigida pelo advento das tecnologias digitais, não tem mais espaço para o professor provedor de informação e detentor  de conhecimento. Na medida em que as relações colaborativas em rede se estreitam e tornam ainda mais complexas, onde todos podem ser emissores e receptores de informação, caba cada vez mais ao professor, tornar-se um facilitador de aprendizagens, e por que não dizer também, um facilitador da aquisição de uma concepção crítica da realidade por parte dessa geração capaz de fazer tantas coisas simultâneas, chamada por alguns autores de geração “alt+tab”.   

2 comentários:

Rosangela alves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rosangela alves disse...

Oi lidio.
Adorei seu blog. Estou realizando uma pesquisa sobre blogues como trabalho de conclusão de curso. Assim, venho pedir sua colaboração, através do preenchimento do questionário que enviei para o seu email. Caso não tenha recebido me mande uma email que eu reenvio.
Obrigada
Rosangela Santos